sexta-feira, 28 de maio de 2010

MINHA VIDA NÃO TERÁ SIDO EM VÃO...

Sou cristão, católico apostólico romano, mas acho bonita essa mensagem. Pra mim não importa a denominação a qual fazem parte as pessoas. O importante é o que elas fazem para promover a paz e a dignidade da pessoa humana. Em seu último sermão para o mundo, na igreja de Ebenezer, Atlanta, na qual era pastor, Martin Luther King Jr. uniu este sonho à sua própria morte:
Frequentemente eu penso naquilo que é denominador comum e derradeiro da vida: nessa alguma coisa que costumamos chamar de "morte". Frequentemente penso em minha própria morte e em meu funeral, mas não em sentido angustiante. Frequentemente pergunto a mim mesmo o que gostaria que fosse dito então, eu deixo aqui com vocês, esta manhã, a resposta...
Se vocês estiverem ao meu lado, quando eu encontrar meu dia, lembrem-se de que não quero um longo funeral. E se conseguirem alguém para fazer o "discurso fúnebre", digam-lhe para não falar muito. Digam-lhe para não mencionar que eu tenho um Prêmio Nobel da Paz: isto não é importante! Digam-lhe para não mencionar que eu tenho trezentos ou quatrocentos prêmios: isto não é importante!
Eu gostaria que alguém mencionasse aquele dia em que Martin Luther King tentou dar a vida a serviço dos outros.
Eu gostaria que alguém mencionasse o dia em que Martin Luther King tentou amar alguém.
Quero que digam que eu tentei ser direito e caminhar ao lado do próximo.
Quero que vocês possam mencionar o dia em que... tentei vestir o mendigo, tentei visitar os que estavam na prisão, tentei amar e servir a humanidade.
Sim, se quiserem dizer algo, digam que eu fui um arauto: um arauto da justiça, um arauto da paz, um arauto do direito.
Todas as outras coisas triviais não têm importância. Não quero deixar atrás nenhum dinheiro.
Eu só quero deixar atrás uma vida de dedicação!
E isto é tudo o que eu tenho a dizer:
Se eu puder ajudar alguém a seguir adiante
Se eu puder animar alguém com uma canção
Se eu puder mostrar a alguém o caminho certo
Se eu puder cumprir meu dever cristão
Se eu puder levar a salvação para alguém
Se eu puder divulgar a mensagem que o Senhor deixou... então, minha vida não terá sido em vão.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Para aqueles que são ou serão ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO: notícia importante!

Você sabia que existe uma entidade que os representa? Pois é...

A Associação Nacional de Pós-graduandos – ANPG – é a entidade representativa dos pós-graduandos brasileiros. É a ponta nacional de uma rede de APGs que estão espalhadas ao longo do território nacional.
Durante seus mais de vinte anos de existência, a ANPG sempre caminhou ao lado dos setores mais progressistas, em defesa permanente da consecução de uma ciência mais humanista e comprometida com as resoluções dos problemas sociais. Promovendo uma verdadeira cruzada em defesa da ciência no final da década de oitenta, a ANPG percorreu todo o país ajudando a construir um forte Movimento Nacional de Pós-Graduandos (MNPG) consolidado nas Associações de Pós-Graduandos.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

SABEDORIA


O saber a gente aprende com os mestres e com os livros. A sabedoria, se aprende é com a vida e com os humildes.

Cora Coralina.

domingo, 16 de maio de 2010

Vingança do estagiário

Um homem viaja num balão de ar quente, quando descobre que está totalmente perdido. Apavorado, ele diminui a velocidade e a altitude do balão e avista um rapaz andando calmamente pelo campo. Ele grita para o outro:
- Hei, você! Pode me dizer onde estou?
O rapaz responde:
- Você está num balão a uns dez metros de altura do solo.
Constrangido com a resposta, o homem retruca, de cima do balão:
- Você com certeza é estagiário, não é?
- Sou sim, como o senhor sabe?
- É que a informação que você me deu é tecnicamente perfeita, só que não serve pra absolutamente nada.
- Bom, e o senhor... é gerente, não é?
- Sou sim, como você adivinhou?!
- Foi moleza! O senhor não sabe onde está, nem muito menos pra onde vai. Está perdido, ferrado e a primeira coisa que faz é botar a culpa num estagiário!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Eucaristia, Pão da unidade dos discípulos missionários.

A participação na resposta amorosa de Jesus ao Pai faz com que os discípulos vivenciem os sentimentos de seu Senhor, seguindo-o em suas opções em favor do Reino de Deus. Ao manifestarem o amor em favor dos irmãos e irmãs que se apresentam no dia-a-dia como próximos, os discípulos preparam o pão e o vinho que serão consagrados na missa. Assim, a comunhão com os irmãos se faz oferenda sobre o altar.

Compreendendo essa verdade é que os leigos, de modo especial, assumem positivamente atividades cotidianas, como o estudo, os serviços domésticos, o trabalho, a vida pública, o esporte... Orientados à Eucaristia, oferecem suas vidas na construção da unidade, superando a simples lógica da auto-afirmação, da busca do lucro, da competição e da concorrência.

A unidade é fruto da comunhão com o próprio Pão e Vinho consagrados, mas é também resposta cristã na preparação da Eucaristia. Ao afirmar que a Eucaristia cria comunhão e educa para a comunhão, João Paulo II lembrava Santo Agostinho: “ ‘Se sois o corpo de Cristo e seus membros, é o vosso sacramento que está colocado sobre a mesa do Senhor; é o vosso sacramento que recebeis’. E daí concluía: ‘Cristo Senhor [...] consagrou na sua mesa o sacramento da nossa paz e unidade’ ”.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

HOJE = PRESENTE...

Há dois dias com os quais não deveríamos
Dois dias que deveriam ser mantidos livres do medo e da apreensão.
Um deles é o ontem, com seus erros e ansiedades, suas falhas e bobagens, dores e sofrimentos.

ONTEM

O ontem passou para sempre, está além do seu controle.
Todo o dinheiro do mundo não pode trazer de volta o ontem.
Não podemos desfazer um único ato que fizemos, não podemos apagar uma única palavra que dissemos, o ontem se foi....

Outro dia com a o qual não deveríamos nos preocupar é o amanhã.

AMANHÃ

Com suas possíveis adversidades, suas cargas, suas grandes promessas e pobre desempenho. Amanhã está além do nosso controle imediato.
O sol do amanhã irá se levantar ou em esplendor ou por detrás de uma máscara de nuvens, mas se levantará. Até que ele o faça não temos nenhuma garantia do amanhã.

Isso deixa apenas um dia, o hoje.

HOJE

Qualquer homem pode lutar as batalhas de apenas um dia, é só quando você adiciona as cargas daquelas duas assombrosas eternidades - ontem e o amanhã - que sucumbimos.
Não é a experiência do hoje que enlouquece alguém, é o remorso ou a amargura por algo que aconteceu ontem e o receio do que o amanhã pode trazer.

Portanto:

Viva não mais que um dia por vez.
Somente por hoje seja feliz,
Somente por hoje seja agradável,
Somente por hoje fale baixo, aja polidamente, não critique ninguém,
não ache erros em nada e nem tente melhorar alguém antes de melhorar a si mesmo.
Somente por hoje tenha um momento em silêncio, sozinho, relaxe e converse com Aquele que está a brilhar lá em cima...

ONTEM é história,
o AMANHÃ é um mistério,
mas o HOJE é uma dádiva,

Por isso é chamado... PRESENTE...

sábado, 1 de maio de 2010

1º de Maio – Dia Mundial do Trabalho

“A história do Primeiro de Maio mostra, portanto, que se trata de um dia de luto e de luta, mas não só pela redução da jornada de trabalho, mais também pela conquista de todas as outras reivindicações de quem produz a riqueza da sociedade.” – Perseu Abramo

O Dia Mundial do Trabalho foi criado em 1889, por um Congresso Socialista realizado em Paris. A data foi escolhida em homenagem à greve geral, que aconteceu em 1º de maio de 1886, em Chicago, o principal centro industrial dos Estados Unidos naquela época.

Milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra as condições de trabalho desumanas a que eram submetidos e exigir a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias. Naquele dia, manifestações, passeatas, piquetes e discursos movimentaram a cidade. Mas a repressão ao movimento foi dura: houve prisões, feridos e até mesmo mortos nos confrontos entre os operários e a polícia.

Em memória dos mártires de Chicago, das reivindicações operárias que nesta cidade se desenvolveram em 1886 e por tudo o que esse dia significou na luta dos trabalhadores pelos seus direitos, servindo de exemplo para o mundo todo, o dia 1º de maio foi instituído como o Dia Mundial do Trabalho.



Mensagem da CNBB: mundo do trabalho ainda continua dividido em categorias


MENSAGEM DA CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL PARA O DIA DO TRABALHO – 1º DE MAIO 

“Por meio do seu trabalho o ser humano se une e serve os seus irmãos, pode exercitar uma caridade autêntica e colaborar no acabamento da criação divina” (Concílio Vaticano II, GS 67,2).

Ao celebrar o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, a CNBB reafirma seu compromisso de colaborar na construção de uma sociedade politicamente democrática, economicamente justa, ecologicamente sustentável e culturalmente plural. Afirmam os bispos na Conferência de Aparecida: “Com sua voz, a Igreja unida à de outras instituições nacionais e mundiais, tem ajudado a dar orientações prudentes e a promover a justiça, os direitos humanos e a reconciliação dos povos” (Documento de Aparecida, 98).

A Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010 denunciou os desvios decorrentes de um modelo econômico voltado para o lucro e para o acúmulo de bens, sem considerar o valor da pessoa humana e sem estar a serviço do bem comum. Entre os desvios encontra-se a prioridade do capital sobre a pessoa humana e, em decorrência disso, do trabalho.

No Brasil e em outros países, o mundo do trabalho continua dividido em categorias: a dos integrados, em número reduzido, com bons salários e vínculo aos círculos mundiais da produção; os semi-integrados, trabalhadores em situação de risco, aqueles que trabalham precariamente e de forma intermitente; e os excluídos, trabalhadores que estão fora da sociedade salarial ou dos vínculos de proteção dos direitos sociais, os desempregados, sub-empregados. Há que se lembrar também dos aposentados e aposentadas, nem sempre reconhecidos pelo bem que fizeram e ainda podem fazer pelo País, e convivendo, tantas vezes, com graves perdas salariais. O direito de todos ao trabalho e a inclusão universal na rede de proteção social tornam-se objetivos obrigatórios para todos os que buscam construir uma sociedade justa e solidária.

Em sua saudação neste 1º de maio, a CNBB faz ressoar as aspirações dos trabalhadores e trabalhadoras pelo reconhecimento de seus direitos, e expressa seu apoio em favor da consolidação e ampliação dos direitos trabalhistas em nosso país. Entre esses direitos, destacamos, sobretudo, o combate ao trabalho escravo pela aprovação da PEC 438/0; a reforma agrária e o limite da propriedade da terra; o incentivo à agricultura familiar e camponesa nos contornos de cada bioma brasileiro; a diminuição da jornada de trabalho sem redução de salários; a ampliação dos fundos solidários e a construção do marco da economia solidária; a implementação de uma política de emprego para a juventude; a correção das perdas nas aposentadorias e a indexação justa de seus benefícios; a universalização da proteção social previdenciária para todo o mundo do trabalho, de sorte que o Brasil possa incluir totalmente a força de trabalho no seguro social.

A CNBB convida todos os trabalhadores e trabalhadoras, que participam da obra criadora de Deus pela dignidade de seu trabalho, a manterem viva a fé em Jesus Cristo, na busca de relações justas e solidárias no mundo do trabalho e no conjunto da sociedade brasileira.

Que Nossa Senhora Aparecida e São José Operário acompanhem todas as pessoas que, pelo seu trabalho, constroem condições dignas para sua família, buscam o bem comum e protegem a vida em nosso Planeta.

Brasília, 01 de maio de 2010

Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana-MG
Presidente da CNBB

Dom Luiz Soares Vieira
Arcebispo de Manaus-AM
Vice-Presidente da CNBB

Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro-RJ
Secretário Geral da CNBB